olhos2 Símbolos nos Contos de Fadas para crianças

Símbolos ou Elementos Simbólicos, são termos ou nomes, ou mesmo uma imagem, que nos pode ser familiar na vida diária, embora possua conotações especiais além do seu significado evidente e convencional.
Ex: Leões, águias, bois que aparecem muitas vezes ornamentando Igrejas são símbolos que provém de uma visão de Ezequiel, são símbolos evangelistas.
A Roda e a Cruz também têm significado simbólico sob certas condições..
Assim, podemos dizer, que uma palavra ou uma imagem é Simbólica, quando implica alguma coisa além do seu significado manifesto imediato.
O Homem também produz Símbolos, inconscientes e espontaneamente, na forma de Sonhos.
Símbolo significa sempre mais do que o seu significado óbvio. Eles são produtos naturais e espontâneos, eles podem ter natureza Individual e Coletiva (imagens religiosas)
**** Não podemos confundir Símbolos com Sinais porque Sinais só servem para indicar objetos a que estão ligados. Ex: Sinal de trânsito; Faixas de travessia, etc.

Nos Contos de Fadas, há sempre dois mundos:
O da Normalidade costumeira
O da Magia, do desconhecido, do Maravilhoso.
Transpondo esses dois mundos para nosso interior, temos:

Consciente—- representado pela normalidade.
Inconsciente — representado pelo maravilhoso, a magia, o desconhecido.

Nos Contos vamos encontrar a relação estabelecida entre Consciente e Inconsciente, através dos contrastes que neles aparecem,como:


HERÓI HEROÍNA
São os que participam da ação. Geralmente são pobres, jovens, fracos, desajeitados (quase sempre o filho mais jovem é quem vai solucionar os problemas através das tarefas a ele impostas, sendo chamado de Parvo ou Simplório) Os Heróis não têm características definidas, podendo ser bons, tristes, maus, felizes, bonitos, feios. Vão representar nos Contos, assim como nos Mitos, o Rito Iniciático, ou seja, saem em busca de resoluções ou a procura do amado, quase sempre respeitando ordens do pai ou da madrasta.
Ao final, quando vitoriosos, voltam ao seu mundo real.
É esta busca que Jung chama de Individuação, a busca do Si-mesmo, do Self, tão importante para a sobrevivência na vida adulta.
O Self , é o Si-mesmo e representa a Totalidade da Psique. Ele emerge da Consciência Individualizada do Ego a medida que o indivíduo cresce.
Por isso, Jung chamou Rito de Passagem esta mudança de uma idade para a outra concluída pela Individuação e maturidade na vida adulta. A cada fase o homem vai buscando esse Si-mesmo até ter o seu Self definido pela totalidade da sua psique.
O verdadeiro processo de Individuação, ou a Harmonização do Consciente com o nosso centro interior (núcleo psíquico) ou Self, começa exigindo um certo sofrimento, principalmente na fase da adolescência que são grandes as transformações e é sempre aí que aparece o Herói dos Contos e Mitos buscando o seu Si-mesmo, através de tarefas impostas a ele e nem sempre fáceis de cumprir.

Fonte :
Símbolos nos Contos de Fadas

Pesquisa personalizada

Atividades de educaçao infantil